A tocar

Título

Artista

No ar

No ar

Background

Santiago Macias apresenta hoje em Moura exposição sobre o seu mais recente livro

Escrito por em Janeiro 17, 2023

“Duarte DArmas – Do Cálamo ao drone”, é este o nome da exposição itinerante do último livro do historiador, que vai ser apresentada hoje, dia 17, às 18h00, na Escola Secundária de Moura, em que faz parte também um documentário de cerca de 30 minutos.

Em entrevista à Rádio Planície o autor, descreve que o projecto baseia-se num livro do século XVI, “o livro das fortalezas”, onde Moura está referenciada. “Em 1510, D. Manuel I encarregou um dos seus funcionários, Duarte DArmas, com particular talento para o desenho, de desenhar todas as fortalezas da fronteira, que eram 60. 20 estão em território do Alentejo”.

O sugestivo nome da publicação tem uma explicação: “Um cálamo é uma cana. O Duarte Darmas usava uma caneta a partir de uma cana para fazer os seus desenhos. E porquê o drone? Era um genial criador de imagens”, referiu o autor, exemplificando: “Duarte Darmas tomava nota das coisas que via no solo e depois criava uma imagem como se tivesse em perspectiva. Na verdade, é como se tivéssemos asas ou um drone para ver aquilo que ele estava a ver”.
Numa linguagem corrente dos computadores e adaptada aos dias de hoje, “junta o AutoCad e o Photoshop”.

Santiago Macias começou a pensar nesta ideia em 2002/03, mas não a conseguiu concretizar na altura. “Entre 2005 e 2017, meteu-se ao caminho o meu trabalho na Câmara Municipal de Moura, na vereação e depois na presidência e isso era incompatível com um trabalho de investigação. Retomo a partir de 2018/19, mas, entretanto, com a pandemia tornou-se difícil andar de um lado para o outro”.

Hoje, é uma realidade e está disponível gratuitamente no site www.duartedarmas.com, o filme, a exposição e o download do livro, uma forma segundo Santiago Macias, de “tornar mais próxima esta informação”. “O projecto tem financiamento comunitário, por isso os livros não podem ser vendidos”, afirmou.

Para o historiador faz todo o sentido que esteja na Escola de Moura, onde fica três semanas. “A informação deve circular o mais possível e sendo eu de Moura e estando fortemente vinculado à nossa terra”, é na para si, muito importante passar por cá.
“Espero que os colegas (professores) possam dinamizar a exposição e o documentário que tem cerca de 30 minutos e permite uma percepção das alterações” das fortalezas.

A proximidade com os diferentes públicos, é outro dos grandes desafios deste projecto. “O académico, mais fechado e circunscrito e depois temos de trazer a mensagem para as pessoas que não são especialistas. Temos essa missão”.
“Duarte DArmas – Do Cálamo ao drone”, é uma iniciativa sustentável, em que o livro “foi feito com materiais reciclados e a exposição também e o filme, só temos suporte na internet. Do ponto de vista da existência do planeta não quero que esta exposição traga mais carga”, referiu o autor.