A tocar

Título

Artista

No ar

No ar

Background

Extinção das Direcções Regionais de Agricultura gera protestos

Escrito por em Janeiro 10, 2023

O desmantelamento do Ministério da Agricultura tem originado um enorme descontentamento da parte dos agricultores, situação que se relfecte numa onda de protestos a começar já no dia 26 deste mês, em Mirandela e no Alentejo, em Fevereiro e não tem data para terminar. Esta voz e acção dos agricultores portugueses contra a extinção das Direcções Regionais de Agricultura (DRA) e sua integração nas Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR), vai fazer-se ouvir um pouco pelo país.05

A Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP), em nota de imprensa, deu conta que a mobilização é um “grito de desespero para com o desnorte governativo no sector agrícola e florestal” e espera adesão por parte dos agricultores do país.
O presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal, Eduardo Oliveira e Sousa, declarou que “a extinção das DRA foi a faísca que acendeu o rastilho para esta mobilização nacional, que começa a 26 de janeiro, e que não tem data prevista para acabar. Iremos assistir a uma onda nacional de protestos e manifestações por parte dos agricultores, porque rejeitamos ser espectadores passivos do colapso do Ministério da Agricultura e da desvalorização do Mundo Rural”.

Na sua opinião, “o ministério que perdeu peso político, ao qual foi subtraída a tutela das florestas, que foi incapaz de se bater por apoios ao sector no decurso da pandemia, inoperante na execução do Portugal 2020 com mais de 1.200 milhões de euros por executar, ausente em apoios durante a seca severa que o país atravessou, que anuncia pagamentos e reiteradamente incumpre prazos por si estabelecidos”.

A CAP tem vindo a denunciar a integração das competências das DRA nas CCDR, sublinhado que “lesa a agricultura portuguesa, não está conforme as regras da Política Agrícola Comum (PAC) e é prejudicial para o desenvolvimento da agricultura e da floresta nacional”, feito segundo a confederação “à revelia do sector, sem explicações ou fundamentação, o que é intolerável e motivo de profundo descontentamento e indignação”.