A tocar

Título

Artista

No ar

No ar

Background

Projecto “Heróis da Fruta” arranca hoje nas escolas de Moura e do distrito de Beja

Escrito por em Janeiro 4, 2023

Começa hoje a 12ª edição do projecto “Heróis da Fruta” em 36 escolas do distrito de Beja, com Moura incluída, numa das maiores iniciativas promovidas desde 2011 pela Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil (APCOI), na área da educação para a saúde em Portugal.

O Agrupamento de Escolas de Moura também implementou a iniciativa destinada “ao 1º ciclo (1º e 2º ano), com 174 alunos que participaram nas escolas todas do agrupamento”, de acordo com declarações do director Rui Oliveira.

Com resultados positivos nesta faixa etária, “os alunos absorvem muito a informação e tentam respeitar. A curto e médio prazo, a tendência de comerem mais fruta, aumenta para os miúdos. Em casa, tentam também incutir esta questão aos pais e irmãos mais velhos”, esclareceu o docente.

O objectivo da APCOI é o de “aumentar o consumo diário de frutas e legumes nas escolas”, onde nas próximas semanas os alunos das turmas inscritas são incentivados a melhorar os seus hábitos alimentares com este projecto, que disponibiliza de forma gratuita às escolas, materiais educativos protagonizados por um grupo de super-heróis, que ganham superpoderes quando ingerem alimentos saudáveis.

Além do distrito de Beja, a iniciativa vai ser implementada em todos os distritos e regiões do país, incluindo Açores e Madeira, num total de 3.649 turmas e 1.430 estabelecimentos de ensino.

Na última década mais de meio milhão de alunos já melhoraram os seus hábitos alimentares diários com a participação no projecto “Heróis da Fruta” com resultados cientificamente comprovados por investigadores do Instituto de Saúde Ambiental (ISAMB) da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL), explicou a associação.

Cerca de 40% das crianças que participam pela primeira vez atingem o consumo das porções diárias recomendadas pela OMS de frutas e legumes, em apenas 5 semanas. Após 10 semanas de intervenção, essa percentagem aumenta para 60%.

As escolas que repetem o programa no ano lectivo seguinte alcançam mais de 90% da turma em apenas 2 semanas, incluindo alunos que não tinham adoptado essa rotina de alimentação saudável no primeiro ano.