A tocar

Título

Artista

No ar

No ar

Background

PSD e CHEGA de Beja reagem ao PCP sobre os Censos 2021

Escrito por em Dezembro 7, 2022

“É de um atrevimento e cobardia atroz esta acusação” – PSD
“É uma piada de mau gosto” – CHEGA

A propósito da informação do Partido Comunista Português relativamente aos Censos 2021, em que consideram os resultados da “erosão demográfica na região do Alentejo”, “efeitos da política de direita no Alentejo”, a presidente da Comissão Política de Beja do partido Chega, Ana Moisão, e o PSD de Beja manifestaram-se em nota de imprensa enviada à Planície, sobre o conteúdo do mesmo.

“Vimos recentemente um comunicado de imprensa do PCP que nos deixou de boca aberta e sem saber se rir ou chorar. O título do comunicado por si só, ou é uma piada de mau gosto ou um teste para ver até aonde pode ir ainda a mentira que nos contam desde 1974. O título dizia: “Censos confirmam efeitos das políticas de direita no Alentejo”.

A distrital de Beja do partido admitiu que não conseguiram “ficar indiferentes a tamanha falácia e demagogia! O mesmo PCP que tem gerido desastrosamente grande parte das autarquias do Alentejo, o mesmo PCP que diz nos defender de unhas e dentes com inúmeras propostas agora apresentadas para a região, mas que enquanto aprovou 6 dos últimos 8 orçamentos de estado não as utilizou como moeda de negociação, o mesmo PCP que desde o 25 de Abril tem ostracizado investidores e empreendedores”. E continua: “o mesmo PCP que diz que a solução de todos os problemas é sempre aumentar despesa pública taxando os contribuintes, vem agora dizer que a culpa do subdesenvolvimento do Alentejo é das políticas de direita”.

O Chega conclui que o PCP, aprendeu “nos seis anos de geringonça a aldrabar o povo à boa moda do padrinho António Costa, o mestre do “a culpa é da direita””, realçando que se assiste “a um PCP desesperado ao saber que tem os dias contados na Assembleia da República e que vai ficar reduzido a um punhado de autarquias no Alentejo”.

Já a distrital do Partido Social Democrata (PSD) fala em “atrevimento e cobardia atroz esta acusação.”
“- O PCP que durante décadas foi força hegemónica no Distrito de Beja e suportou o Governo Socialista durante 6 longos anos, garantindo o seu apoio parlamentar, o que fez pela região?”
– Nos acordos parlamentares para garantir a passagem dos orçamentos de estado, que investimentos garantiu para o nosso território em troca da sua aprovação?
– Que medidas estruturais conseguiu submeter nas 6 versões finais desse mesmo documento?
– O que ganhou o Baixo Alentejo com as lideranças locais e com o peso que ganhou no poder central, por via da constituição da geringonça?”. Foram questões que a distrital do PSD deixou em aberto no comunicado de imprensa.

Acrescentando por último que “É soberbo e arrogante este conjunto de acusações, consideramos nós, com a intenção de subverter a fase de declínio que atravessa.
O PCP queira ou não, tem a sua marca associada à inércia, à incapacidade de acrescentar e à conduta ideológica de atrasar.”