A tocar

Título

Artista

No ar

Discos Pedidos

10:15 11:59

No ar

Discos Pedidos

10:15 11:59

Background

Mês de prevenção do cancro da próstata – A Planície falou com o Urologista Manuel Coelho

Escrito por em Novembro 22, 2022

O Novembro Azul, assinala o mês de prevenção do cancro da próstata, uma das doenças que mais afecta os homens a partir dos 50 anos, com uma taxa de incidência de cerca de 35%. A partir dos 90 anos, 85% do sexo masculino sofre desta patologia. Mas o diagnóstico feito na idade certa, salva vidas.

A Planície conversou com o Urologista Manuel Ferreira Coelho, que falou sobre a prevenção e principais sintomas da doença.
O especialista começou por alertar para a importância do rastreio, recomendado “a partir dos 50 anos ou dos 45 se for de raça negra ou se tiver familiares de 1º grau com cancro da próstata”.

E o que deve ser feito? “Uma análise que é o PSA e uma observação por um Urologista com um toque rectal. Com esses dois factores, é possível fazer uma estimativa de probabilidade de existir ou não um cancro da próstata. Se o risco for alto, (o paciente) tem de fazer uma biópsia”.

A vantagem de fazer o diagnóstico precoce, prende-se com “as terapêuticas que hoje em dia estão ao nosso alcance e com um PSA baixo, conseguimos ter taxas de cura muito elevadas”. Por outro lado, a evolução da doença tem aumentado, mas mesmo nestes casos, “também já começa a haver tratamentos de 1ª, 2ª e 3ª linha para quando as coisas falham após a primeira tentativa de trabalho curativo”, observou o médico.

O Urologista lembrou que apesar dos avanços nesta área, “a cada década que passa, há maior incidência de cancro da próstata. Aos 50 anos anda à volta dos 35% e aos 90, 85% dos homens tem a doença. É uma situação cumulativa ao longo da vida”, explicou e sublinhou que “quanto mais cedo for feito o diagnóstico, maior é a probabilidade de ser tratado”.

Por ser uma doença silenciosa, os sintomas não existem e podem ser “disfarçados” por outro problema. “Nas fases iniciais, o cancro só está localizado à próstata e não dá sintomas. Quando os começa a dar, é nas situações mais avançadas, com as dores ósseas ou a metastização”.

Na verdade, os indícios podem ser de outra patologia que também surge na próstata e que é a hipertrofia benigna. “O cancro aparece na zona periférica da próstata e a hipertrofia benigna na zona central da próstata. Esse aumento é que provoca sintomas como a dificuldade em esvaziar a bexiga, o jacto fraco e o acordar à noite para urinar”.
O Urologista Manuel Ferreira Coelho alertou para a importância do rastreio precoce para prevenir o cancro da próstata.