A tocar

Título

Artista

No ar

No ar

Background

Greve fecha escolas no concelho de Moura

Escrito por em Novembro 18, 2022

Foi convocada para hoje, dia 18, uma greve nacional da administração pública, a uma semana da votação final global da proposta de Orçamento do Estado para 2023 (OE2023), que prevê aumentos salariais de um mínimo de cerca de 52 euros ou de 2% para a administração pública no próximo ano. A Frente Comum de Sindicatos já tinha dado a conhecer que exige aumentos salariais de “10% ou um mínimo de 100 euros”.

Esta sexta-feira, a paralisação está afectar serviços da educação, saúde, finanças, segurança social e autarquias.

No concelho de Moura, foi no ensino onde a adesão à greve teve um maior impacto, com o fecho de seis estabelecimentos do Agrupamento de Moura, o que se reflectiu em 31 funcionários não docentes e 12 docentes.

No Agrupamento de Amareleja fechou uma, apesar da escola sede estar aberta, mas sem actividades lectivas. Neste caso, também os colaboradores não docentes aderiram em maior número à não comparência ao trabalho.

Segundo nota de imprensa do Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local e Regional (STAL), a greve que teve uma “forte adesão nos sectores da higiene e recolha de resíduos urbanos” não tendo havido recolha de lixo nos municípios do Alentejo como: Aljustrel, Beja, e Évora.

A mesma informação destaca as “elevadas adesões em diversos sectores”, na generalidade das autarquias e empresas municipais, de Norte a Sul do País.

“A paralisação desta sexta-feira tem igualmente forte expressão em sectores como juntas de freguesias, piquetes de água, transportes colectivos urbanos de passageiros, escolas e jardins de infância, bibliotecas, equipamentos culturais e desportivos, sectores operacionais, bombeiros sapadores, tesouraria e serviços de atendimento, encontrando-se muitos deles totalmente encerrados.” Referiu a STAL em comunicado.