A tocar

Título

Artista

No ar

No ar

Background

Alentejo tem o maior número de mulheres inventoras

Escrito por em Novembro 10, 2022

O estudo publicado esta semana pelo Instituto Europeu de Patentes (IEP), com o tema a “Participação das mulheres na actividade inventiva”, revelou alguns resultados bastante curiosos e positivos para as mulheres alentejanas.

Os dados mostram que dos pedidos de patentes em Portugal registados entre 2010 e 2019, 26,8% da totalidade de inventores, são mulheres, sendo mais do dobro da média da Europa que se situou nos 13,2%. Facto ainda mais significativo, é que de todas as regiões, é no Alentejo que está a maior percentagem, com 34,9%.

A Planície quis saber porque é que esta criatividade feminina acontece sobretudo nesta região. A consultora de patentes Marisol Cardoso, da Inventa, empresa especialista em protecção de propriedade intelectual, ajudou na explicação. “Em todo o território português existe o incentivo de desenvolvimento científico e tecnológico, em especial as regiões que promovem parcerias entre o mundo académico e o empresarial. É o caso do Parque do Alentejo de Ciência e Tecnologia de Évora”. Esta instituição “integra o trabalho conjunto da Universidade de Évora, o Politécnico, o Centro de Investigação e as startups”. Tudo isto vai de encontro “ao estudo que mostra que a presença feminina é mais expressiva no sector académico que no empresarial”, segundo afirmou a especialista da Inventa.

O Alentejo pode ser um exemplo para outras regiões, “já que os resultados apresentados são excelentes a nível europeu e vão de encontro à tendência mundial de participação feminina, no cenário da inovação”, afirmou Marisol Cardoso.

Esta conjuntura influencia os campos tecnológicos com maior participação de mulheres do que outros, o que no futuro interfere com a “actividade geral de patenteamento de uma determinada região, o que também influenciará o equilíbrio de género nos próximos anos”.

O estudo menciona outro dado a reter, com Portugal a apresentar a segunda maior percentagem de mulheres inventoras entre todos os estados que integram o IEP, com a Letónia na liderança. A investigação destes números teve como base todos os pedidos de patentes entre os anos de 1978 a 2019.

Como curiosidade detectada pelos números, as patentes nas áreas de biotecnologia e farmacêutica, exibiu a taxa mais elevada no sexo feminino, com uma percentagem de mais de 30% na Europa. Pelo contrário, o sector da engenharia mecânica, foi o mais baixo, com cerca de 5,2% na Europa e 13,4% em Portugal.