A tocar

Título

Artista

No ar

No ar

Background

Negocio de Flores em Moura revela-se em dia de finados

Escrito por em Novembro 1, 2022

No dia em que se honra a memória dos entes queridos, mantém-se viva, no concelho de Moura, a tradição de colocar flores nas campas. Entre os arranjos mais simples, aos mais elaborados, os pedidos foram feitos com alguma antecedência, mas este ano sem exageros.

O negócio “está um pouco parado, mas já tenho algumas encomendas para entregar”, contou Ana Maria Infante, florista na cidade. As mais pedidas para esta altura, as margaridas, “conhecidas aqui por despedida”, têm tido saída.

Os preços, esses, há para várias bolsas, “depende da quantidade de flores e tamanho. Os mais pequenos custam sete euros e meio e podem ter gerberas, cravos ou margaridas”, depende dos gostos.

A maior parte das flores de Ana Maria Infante são de origem portuguesa, mas também tem vivaz importado e nacional. Já as rosas, “são importadas”.

Carmo Queirós, proprietária da loja O Jardim da Maria, em Moura, também já tem algumas encomendas especialmente para o dia de hoje, com “margaridas, crisântemos e flores da época, porque são estas que representam este mês. Por isso, têm mais saída”. Os ramos mais comercializados “são os que custam dez euros, mas também tenho uns ligeiramente maiores a quinze”.

As flores desta loja são provenientes do Montijo, “a capital da flor e é tudo português, menos as rosas. Vêm do Equador e da Colômbia”, explicou.

O negócio não vai “de vento em poupa”, mas o que conta neste e em outros dias, é a intenção.