A tocar

Título

Artista

No ar

No ar

Background

Beja regista menor taxa de esforço na compra de casa

Escrito por em Outubro 28, 2022

A subida acentuada dos juros nos últimos meses está a provocar um aumento no esforço financeiro das famílias portuguesas para a compra de casa, destinando 41% do seu rendimento familiar para esse fim. Comparando com há um ano, as famílias destinavam 28% dos seus rendimentos.

Esta situação, acontece em todos os distritos e capitais de distrito portugueses, segundo um estudo publicado pelo Idealista, que cruzou os preços de venda em setembro de 2022 com os custos financeiros da compra de uma casa e a estimativa do rendimento familiar nesse mesmo período.

Foi no distrito de Lisboa onde mais aumentou o esforço para comprar casa, passando de uma taxa de 39% do rendimento familiar no terceiro trimestre de 2021, aos 58% deste ano. Seguem-se os aumentos de Faro (de 31% a 45%), Setúbal (de 24% a 38%), Porto (de 29% aos 41%) e ilha da Madeira (de 23% aos 35%).

Por outro lado, as menores subidas da taxa de esforço, verificam-se em Viana do Castelo que passou de uma taxa de 17% do rendimento familiar aos 20% no terceiro trimestre de 2022, Portalegre (dos 11% aos 14%), Beja (dos 13% aos 16%), Évora (dos 15% aos 20%) e Guarda (dos 12% aos 16%).

Portalegre foi a capital de distrito onde menos aumentou a taxa de esforço para a compra de habitação, fixando-se entre os 11% e 15%, seguida por Castelo Branco (de 14% a 19%), Vila Real (de 18% a 23%), Santarém (de 14% a 20%) e Guarda (de 12% a 18%).