A tocar

Título

Artista

No ar

No ar

Background

Sem trabalho e alojamento, problema de migrantes em Serpa aumenta

Escrito por em Setembro 26, 2022

Tal como a Planície já tinha noticiado, a autarquia de Serpa reuniu hoje a imprensa para voltar a pedir ajuda ao Governo, sobre a questão dos migrantes Timorenses no concelho.

Em desespero de causa, no dia 21 deste mês, o presidente da autarquia, João Efigénio Palma, enviou uma missiva ao Presidente da República, ao Primeiro-Ministro e a alguns ministérios, na tentativa desta “emergência social”, sendo urgente “uma rápida resolução do problema”.

Apercebendo-se da existência das pessoas desalojadas e de algumas a dormir “três e quatro noites no Terminal Rodoviário de Serpa tivemos que acolher mais pessoas. Temos quatro dezenas de pessoas alojadas no pavilhão (Feiras e Exposições), que não responde às necessidades. É um pavilhão de exposições, não tem balneário, não tem cozinha. Se estavam em condições indignas, continuam em situação indigna, apesar dos esforços que fazemos”, assegurou o autarca.

Quase diariamente chegam mais Timorenses a Serpa, já são quase duas centenas, sem certezas, mas o problema tem de ter um fim à vista. Legalmente, podem permanecer no nosso País durante 90 dias. “Por muito que nos custe, por muito duro que seja, estamos na disposição de dizer que não aceitamos mais pessoas. Não é falta de solidariedade, é perceber que nós não temos solução. Não sabemos até quando é que estas pessoas estão lá (pavilhão) e já temos quatro dezenas”.

“Sem nos comprometermos muito, não podemos passar de meados do mês que vem. Urge resolver isto, não só pelo pavilhão, mas o mais importante é resolver a situação destas pessoas”.

João Efigénio Palma julga que este cenário relacionado com os Timorenses, pode ser “uma situação de imigrantes clandestinos a tentar legalizar-se em Portugal, para irem para outros países”. No contacto, “referem que querem muito ir para Inglaterra”.

A autarquia tem trabalhado directamente com a Segurança Social de Beja, que também não tem solução, mas começa a preocupar-se com outra possibilidade. ” Estamos a aproximar-nos da época da apanha da azeitona, da amêndoa e possivelmente vamos ter mais emigrantes cá. Pode tornar-se uma situação explosiva”, referiu em conferência de imprensa o responsável autárquico.

João Efigénio Palma, da autarquia de Serpa voltou a apelar ao Governo para resolver a situação dos Timorenses no concelho.