A tocar

Title

Artist

No ar

No ar

Background

Águas Públicas do Alentejo fecha ano com 160 milhões em investimentos

Escrito por em Abril 4, 2022

A empresa Águas Públicas do Alentejo (AgdA) em comunicado refere que investiu mais de 160 milhões de euros, em 2021, e prevê aplicar cerca de 16 milhões, este ano, em infraestruturas de abastecimento público e saneamento de água.

A AgdA refere que a Assembleia-Geral de Accionistas da empresa já aprovou, “por unanimidade”, o relatório e contas relativo ao exercício económico-financeiro de 2021 e o plano de actividades e orçamento para 2022.

E adianta que o exercício de 2021 ficou “marcado” por um investimento “acumulado superior a 160 milhões de euros” e pelo lançamento de procedimentos de contratação de estudos e projectos “na ordem dos dois milhões de euros”.

Trata-se de estudos e projectos “indispensáveis para o novo ciclo de investimentos em infraestruturas, a executar, no essencial, até 2025”, sublinha.

Os principais indicadores económico-financeiros previstos para este ano evidenciam que o investimento da AgdA em infraestruturas “possa atingir um valor na ordem dos 16 milhões de euros” e que o volume de negócios “evolua” para os 19 milhões de euros, estima.

Segundo a empresa, das intervenções previstas para este ano, as de “maior expressão” são a continuação da obra de ampliação da Estação de Tratamento de Água (ETA) do Enxoé, no concelho de Serpa, e o início da construção da nova Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Cuba.

A empresa destaca ainda para este ano o início das obras de reabilitação da ETA de Alvito (Beja) e de construção da nova ETAR de Ermidas-Sado, no concelho de Santiago do Cacém, distrito de Setúbal.

Da actividade de 2021, a AgdA realça o início da empreitada de ampliação da ETA do Enxoé, “destinada a concluir o sistema de abastecimento de água do Guadiana Sul”.

Também no distrito de Beja, a AgdA refere a ligação aos sistemas de abastecimento de Monte da Rocha e do Guadiana Sul de 29 aglomerados dos concelhos de Almodôvar, Castro Verde e Mértola, que, “historicamente, se têm confrontado com importantes constrangimentos em termos de quantidade e qualidade” de água.

A AgdA foi criada em 2009 e tem como accionistas o grupo Águas de Portugal e a Associação de Municípios para a Gestão da Água Pública do Alentejo, constituída por 20 câmaras municipais dos distritos de Beja, Évora e Setúbal.