A tocar

Title

Artist

No ar

Caprichos da Noite

00:00 05:59

No ar

Caprichos da Noite

00:00 05:59

Background

Bombeiros de Moura preparam-se para receber uma nova viatura

Escrito por em Fevereiro 25, 2022

Integrado no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) e no âmbito do Programa MAIS Floresta, os Corpos de Bombeiros de Norte a Sul do país vão receber 81 veículos florestais, sendo que sete desses veículos vão ser distribuídos por corporações do distrito de Beja, onde se insere a Associação Humanitária dos Bombeiros de Moura, contemplada com uma viatura VFCI de combate a incêndios, segundo informação a que a Planície teve acesso.

A verba do PRR no valor de 12,6 milhões de euros, destinada à aquisição de veículos florestais pelos Corpos de Bombeiros, vai permitir “um reforço da capacidade de resposta operacional no combate aos incêndios rurais”, de acordo com nota de imprensa enviada à Planície do Ministério da Administração Interna (MAI).

O comunicado referiu que com este investimento, “será aumentada a capacidade da resposta operacional dos agentes de protecção civil através da distribuição, via contrato de comodato a celebrar com a Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil (ANEPC), de viaturas a Corpos de Bombeiros localizados nos territórios onde se verifique uma maior carência de Veículos Florestais de Combate a Incêndios (VFCI) e de Veículos de Tanque Tácticos Florestais (VTTF), face à respectiva área florestal”.

Sabe-se que os critérios adoptados para esta entrega, tiveram em conta a capacidade para os operacionalizar por parte do Corpo de Bombeiros, garantindo a sua distribuição pelos territórios onde se verifica uma maior carência deste tipo de veículos.

Assim, a lista final da distribuição das viaturas contemplou 14 VFCI e 12 VTTF para o Norte, 22 VFCI e 3 VTTF para o Centro, 6 VFCI e 2 VTTF para a zona de Lisboa e Vale do Tejo, 13 VFCI e 5 VTTF para o Alentejo e por fim, 4 VFCI para o Algarve.

Estima-se que a verba disponibilizada, representa “a maior distribuição de veículos para resposta a incêndios rurais desde 1980”, lê-se na nota de imprensa do MAI.