A tocar

Título

Artista

No ar

No ar

Background

Onda de assaltos em Sobral da Adiça esta madrugada

Escrito por em Fevereiro 17, 2022

Em Sobral da Adiça, esta madrugada teve lugar uma onda de assaltos, quer a estabelecimentos comerciais, quer a um empresário agrícola.

Perante esta situação a Junta de freguesia emitiu um comunicado em que refere que esta situação tem “como base o abandono em que estão as populações do interior do país”, e pela falta de policiamento.

O presidente da junta de freguesia de Sobral da Adiça, Bruno monteiro, disse à Planície que “esta manhã a aldeia, acordou em sobressalto, por uma onda de assaltos, que não é normal, na nossa freguesia, mas infelizmente é o resultado do completo abandono em que o Governo tem as terras do interior”.

E salientou que “a falta de policiamento da GNR, nas nossas freguesias é mais do que visível. Não temos elementos, falta a segurança e as pessoas sentem-se cada vez mais sozinhas”.

Sobre o que aconteceu Bruno Monteiro refere que “foi o resultado desse abandono. Foram dois estabelecimentos comerciais, dois estabelecimentos de bebidas e um agricultor, que sofreu perdas de cerca de 70 mil euros, porque lhe foi furtado um tractor”. E sublinha “só para nós termos a imagem do que é esta situação, já se consegue furtar um tractor de uma zona rural, mas que é a 500 metros da aldeia”.

No que se refere à posição da Junta, Bruno Monteiro sublinha que “nós exigimos que a segurança seja reposta. Já estamos a fazer a requalificação do Posto da GNR de Sobral da Adiça. Há a promessa, que em Março, iremos ficar com 5 efectivos na freguesia e mais 11 do SEPNA, relacionados com o ambiente. Consideramos que isso poderá eventualmente solucionar ou pelo menos afastar estes ladrões da nossa freguesia”.

Bruno Monteiro, manifestou o seu descontentamento com esta situação referindo que “nós consideramos que só servimos para pagar impostos e esses pagamos igual a todos os outros, mas em relação aos direitos, a coisa já funciona de outra forma”.

Deste modo a Junta de Freguesia reclama mais policiamento, de modo a debelar o sentimento de insegurança que se vive na aldeia.