A tocar

Title

Artist

No ar

No ar

Background

Bloco de Rega para Moura: “Vamos defender o projecto” Álvaro Azedo

Escrito por em Janeiro 19, 2022

O Presidente da Câmara Municipal de Moura, Álvaro Azedo, já reagiu à notícia publicada ontem pela Planície, sobre o investimento de 127 milhões no Bloco de Rega Póvoa/Amareleja, não contemplar as terras que pertencem à freguesia de Moura.

Sobre o assunto, o autarca referiu que “a posição da Câmara Municipal de Moura é a mesma que temos vindo a defender nos últimos quatro anos. Vamos continuar a “bater” com toda a firmeza pela totalidade do projecto, ou seja, o nosso Bloco de Rega é Amareleja/Póvoa/Moura e é isso que defendemos junto da EDIA e junto do Governo”.

O edil mourense não esconde a indignação e está do lado dos agricultores: “Os únicos inocentes aqui, são os nossos agricultores e quer a Ministra da Agricultura, quer a EDIA, têm responsabilidades neste capítulo”.

Nesta nova fase em que se esperam decisões políticas para o país no final deste mês, Álvaro Azedo assume a sua posição e aguarda que “tenhamos um novo titular da pasta da agricultura e que seja um alentejano, que defenda os interesses da nossa agricultura, do mundo rural e dos alentejanos”.

Acima de tudo, o autarca reforçou que valores mais altos se levantam: “Não deixaremos de fazer valer os interesses do nosso concelho, os interesses dos nossos agricultores e a defesa deste projecto na sua totalidade”.

Álvaro Azedo deixou ainda claro que na questão ambiental, relacionada com um abrigo de morcegos em Moura, houve disponibilidade da parte da autarquia mourense para financiar o estudo: “Na reunião com o ICNF (Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas) e a EDIA e o estudo sobre os famosos morcegos, a Câmara Municipal de Moura disponibilizou-se para custear metade do estudo”.

Como tal, “estivemos lá sempre, do lado das posições positivas. Não deixaremos cair o projecto e vamos continuar a trabalhar com o próximo Ministro/a da Agricultura”, afirmou o autarca e reforçou a ideia: “O Alentejo tem um peso determinante nas políticas agrícolas e devíamos voltar a ter um ministro da região, que defendesse a nossa agricultura e o nosso modo de vida”.

Disposto a que se concretize o que estava previsto inicialmente, que era o Bloco de Rega Moura/Póvoa/Amareleja, o edil de Moura mostrou-se disponível “para que haja uma solução que permita que o projecto avance na sua totalidade e não abdicaremos disso”.

O Executivo da Câmara Municipal de Moura em comunicado enviado à Planície, mostra-se, também, solidário com os agricultores do concelho.

No documento o executivo sublinha que “foi em Setembro de 2018, no decurso da tradicional Feira de Moura, que Luís Capoulas Santos, nessa data Ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, na presença de José Pedro Salema, Presidente da EDIA e Álvaro Azedo, Presidente da Câmara de Moura, apresentou o Bloco de Rega Moura-AmarelejaPóvoa de São Miguel”. E adianta que o ex ministro da Agricultura realizou a apresentação do Bloco de rega na “presença de dezenas de Agricultores do Concelho de Moura, que acolheram a notícia com satisfação e esperança. Tratava-se de uma questão da mais elementar justiça”.

Perante a notícia de que do Bloco vão ser retirados cerca de 3000 hectares, o executivo refere que “perante estas notícias que hoje vieram a público, vem desde já manifestar total solidariedade para com os Agricultores do Concelho de Moura, bem como com toda a população afectada por esta decisão”.

Manifesta igualmente o propósito de “instar o Governo de Portugal a rever esta situação de enorme injustiça para o nosso território, e, apoiar os Agricultores do Concelho de Moura em todas as acções que reputem convenientes no sentido de dar força às suas legítimas aspirações”.