A tocar

Title

Artist

No ar

Pela Manhã

09:00 09:59

No ar

Pela Manhã

09:00 09:59

Background

Alentejo cresceu 90,3% em pedidos de patentes

Escrito por em Dezembro 31, 2021

A região do Alentejo aumentou o pedido de patentes em 90,3% submetidos no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI), quando comparado com 2019, segundo dados do barómetro “Patentes Made in Portugal 2021”, realizado pela Inventa, empresa especializada em protecção de propriedade intelectual e direitos de autor.

A análise feita às regiões portuguesas, concretamente em relação aos pedidos submetidos no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI), a região Norte consolidou a sua posição e aumentou 7% em 2020 nos pedidos nacionais. Já nos pedidos de patente europeia, a mesma região teve um aumento de 12%, face ao período de 2019.

Por outro lado, a região Centro teve um aumento de 8,1% e o Algarve registou um decréscimo na ordem dos 69,6% e a Madeira de 28,6%. A Área Metropolitana de Lisboa cresceu cerca de 21,3%.

Os principais requerentes com origem em Portugal, com pedidos submetidos em 2020, são a Universidade do Minho e a Universidade do Porto que dividem a liderança no número de invenções apresentadas.

Os sectores farmacêuticos, de engenharia civil, de tecnologias médicas e da química orgânica fina, destacam-se nos pedidos de patente com origem em Portugal, embora as invenções relacionadas com tecnologias computacionais e comunicação digital estejam em franca ascensão.

No geral e comparando a posição de Portugal face a outros países europeus, o nosso país subiu nove posições no ranking europeu de pedidos de patente entre 2001 e 2019, o que corresponde a um aumento de sete vezes (em 2001, Portugal tinha 305 pedidos submetidos; em 2019 alcançou os 2150 pedidos).

 

Apesar de não ter alcançado o top 10 europeu, a taxa média de crescimento anual de pedidos com origem em Portugal foi de 10,8%. A liderar o ranking europeu encontram-se a Alemanha, França e Reino Unido.

 

Como tal, em Portugal, a região do Alentejo alcançou assim um aumento de patentes de 90,3% submetidos no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI).