A tocar

Title

Artist

No ar

Caprichos da Noite

00:00 05:59

No ar

Caprichos da Noite

00:00 05:59

Background

EDIA apresentou as conclusões do Estudo sobre o Regadio 20|30

Escrito por em Dezembro 13, 2021

José Pedro Salema, responsável da EDIA apresentou à ministra da Agricultura as conclusões do estudo “Regadio 20|30 — Levantamento do Potencial de Desenvolvimento do Regadio de Iniciativa Pública no Horizonte de uma Década”, elaborado pela empresa gestora de Alqueva.com a presença da ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes.

José Salema disse à Planície que “a EDIA apresentou recentemente e publicamente à Ministra da Agricultura, um trabalho de levantamento do potencial desenvolvimento do regadio de iniciativa nacional”. E adiantou que “nesse trabalho, fomos convocados a conhecer melhor a realidade do regadio público português e identificamos uma série de intenções de investimento, projectos e ambições de vários agentes do território, que se concentram, fundamentalmente em novos regadios e em modernizações dos existentes”.

O responsável da Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas de Alqueva (EDIA), sublinha em relação à segurança das barragens que, “as exigências sobre as infraestruturas das grandes barragens, têm vindo a subir, os governos têm legislado, para que as barragens tenham cada vez mais segurança”.

O presidente da EDIA notou que, hoje, é preciso “fazer esses esforços” em segurança “para garantir que uma infraestrutura que tem um potencial de causar algum dano está no ponto óptimo de monitorização, que tem sistemas de alarmística, monitorização constante” e “que é capaz de aguentar aquilo que a natureza lhe pode impor”.

Para o futuro, a área da segurança é “uma das áreas de investimento” que tem de ser concretizada no país.

Em valor, “não é seguramente o sector mais relevante”, porque “o esforço” irá ser dividido, “essencialmente, entre a modernização” de regadios existentes “e os novos regadios”, mas não pode ser esquecido, avisou.

“Uma parte mais pequena do investimento, será para a segurança de barragens”, mas, ainda assim, será “na ordem das dezenas de milhões de euros” o montante “que temos que investir”, sustentou.