A tocar

Title

Artist

No ar

Pela Manhã

09:00 09:59

No ar

Pela Manhã

09:00 09:59

Background

Apresentação de dados sobre o Convento do Carmo em Moura

Escrito por em Novembro 1, 2021

A Câmara Municipal de Moura e a empresa de arqueologia Arqueohoje, Lda. estiveram presentes no XI Encontro de Arqueologia do Sudoeste Peninsular que, este ano, se realizou em Loulé.

No mesmo, foi apresentada uma comunicação conjunta com o título “Convento do Carmo de Moura: dados preliminares das sondagens arqueológicas de diagnóstico”, de autoria de Vanessa Gaspar, Rute Palmeirão Silva e Patrícia Simão.

Estes encontros de arqueologia são ibéricos e pretendem promover o conhecimento dos diversos projectos de investigação que estão a ser desenvolvidos neste território, o sudoeste peninsular, como disse à Planície, a arqueóloga Vanessa Gaspar. “Este é um encontro, que se foca muito concretamente neste território”, referiu.

Acrescentando que “é importante mostrar aos nossos colegas de profissão, o que vamos encontrando, cada um de nós, nos trabalhos que desenvolvemos nesta região, mostrando o que tem sido a investigação arqueológica, que tem aqui acontecido”.

Vanessa Gaspar adiantou ainda que “isto é, digamos assim, logo um dos factores mais importantes, que é podermos junto da comunidade científica dar a conhecer os projectos de investigação que estão em curso e desenvolvidos nesta região”.

A participação no Encontro pretendeu dar a conhecer, à comunidade científica, o resultado da 1.ª fase de trabalhos arqueológicos, desenvolvidos entre Maio e Julho deste ano e, promover o conhecimento histórico de Moura e do Convento de Nossa Senhora do Carmo, o primeiro convento da Ordem Carmelita a ser fundado em Portugal.

As equipas estão novamente em campo a dar seguimento aos trabalhos arqueológicos e antropológicos, em estreita articulação com a equipa responsável pelo Projecto de Reabilitação e Requalificação do Convento do Carmo e a sua transformação em unidade hoteleira.

Este trabalho de investigação arqueológica vai ao encontro das directrizes da Direcção Geral do Património Cultural, pretende prevenir e minimizar eventuais impactes patrimoniais que a obra possa provocar num imóvel cuja data de construção remonta a meados do século XIII.