A tocar

Title

Artist

No ar

Caprichos da Noite

00:00 05:59

No ar

Caprichos da Noite

00:00 05:59

Background

Eleitos da CDU de Moura votam contra contas da UFMSA

Escrito por em Julho 9, 2021

Em comunicado os eleitos da CDU na Assembleia de Freguesia da União de Freguesias de Moura e Santo Amador, dão a conhecer que o voto contra esta prestação de contas, “se baseia numa análise exclusivamente política do documento”.

Os comunistas salientam que esta posição é tomada devido à assinatura do protocolo de delegação de competências com a Câmara Municipal de Moura, “não corresponder a uma efectiva descentralização de serviços”. Realçando que a UFMSA “passou a desempenhar mais tarefas, as descartadas pela Câmara Municipal, ao mesmo tempo que teve de continuar a assegurar as suas próprias competências e atribuições dadas pela lei sem, no entanto, reforçar os meios humanos ao dispor dos fregueses. Recorrer a trabalho precário para dar resposta a necessidades que se tornaram permanentes ou sobrecarregar os trabalhadores do mapa de pessoal, ao mesmo tempo que transitam saldos de gerência superiores a 80 mil euros, é um tipo de gestão que não se coaduna com as múltiplas necessidades e carências dos nossos conterrâneos”.

No mesmo comunicado esta força política diz que “Os menos de 8 mil euros de apoios concedidos ao movimento associativo, num ano tão complicado para esse sector, também demonstra a pouca pro-actividade deste executivo, que não procurou adaptar os apoios concedidos às novas necessidades sentidas pelas nossas associações e colectividades, impostas pela situação pandémica”.

A CDU fala em “falta de proactividade deste executivo”, não compreendendo que até nos apoios sociais às famílias, tenham ficado 5 mil euros por executar, numa altura de maiores dificuldades. Dizendo que “o nível de execução financeira global de 57.5%, é manifestamente insuficiente”.

Na nota de imprensa, a CDU de Moura, apesar de não por em causa a legalidade deste tipo de actuação, também realça a não concordância das verbas gastas pelas deslocações, em viatura particular, do Presidente da Junta, dizendo que é “uma muito má opção no que diz respeito à gestão dos recursos públicos”.

A verba em causa é de 5.106,16 euros (equivalente a 14183.78km percorridos em viatura particular) despendido em ajudas de custo pelo Presidente da Junta, “num ano em que as actividades presenciais estiveram praticamente suspensas e em que as deslocações no interior da própria área geográfica da UFMSA não contam para o cálculo”. Referem os comunistas. Salientando ainda que o montante gasto em ajudas de custo nos anos de 2018, 2019 e primeiro trimestre de 2021 pagos ao Presidente da Junta, foi num total de 15.300 euros.

No entendimento dos eleitos da CDU, “a melhor opção teria sido a aquisição de uma viatura, semelhante à que se diz ter sido utilizada para o efeito”. Acrescentando que “gastou-se o dinheiro, não se enriqueceu o património dos fregueses da UFMSA e não foi resolvido o problema do parque automóvel que, pelos vistos, foi detectado logo em 2018”.