A tocar

Title

Artist

No ar

No ar

Background

Covid-19 – Concelho de Moura está a acompanhar o calendário nacional de vacinação

Escrito por em Junho 5, 2021

As pessoas com mais de 20 anos vão começar a ser vacinadas contra a covid-19 em Agosto, avançou o coordenador da ‘Task Force’ para o plano de vacinação contra a covid-19.

“Vamos acabar a vacinação das pessoas acima de 30 anos entre fim de Julho e início de agosto e nessa altura vão começar a vacinar-se as pessoas com 20 anos”, disse Henrique Gouveia e Melo aos jornalistas à margem do evento eHealth Summit.

No concelho de Moura tudo indica que este calendário será cumprido. Célia Geadas do centro de Saúde de Moura disse à Planície que “se o processo decorrer como até aqui, penso que estamos em condições de atingir esse objectivo”. E adiantou que “nós neste momento estamos a inocular dos 50 aos 55 anos, já percorremos os outros escalões etários. Acho que temos efectivamente, condições para avançar, tal e qual como o resto do País”.

Em relação ao número de vacinas que são inoculadas por dia, a profissional de saúde referiu que “nós vacinamos de acordo com as pessoas que temos em sala de acordo com o escalão etário e também com as vacinas que temos disponíveis”. Quando o concelho de Moura ficou confinado, houve um aumento no número de pessoas a serem inoculadas, “estávamos a vacinar 500 a 600 pessoas. Eram as que faltavam no escalão etário da altura” e adiantou que “aí demos um grande passo em frente, porque vacinamos muita gente de uma vez”.

Actualmente, e segundo Célia Geadas “vamos vacinar hoje, com a primeira dose 288 pessoas e amanhã o mesmo número, com a segunda dose hoje são 164 e no sábado 141. Já estamos a vacinar as doses em simultâneo”.

O coordenador da ‘Task Force’ explicou que, quando se chegar à faixa etária dos 18 anos, estará vacinada de “grosso modo” mais de 90% da população.

“É muito provável que, com essa taxa de vacinação, o vírus continue a persistir de forma endémica na população”, afirmou, acabando “por morrer” porque não tem como se propagar na comunidade.

Por isso, disse ainda Gouveia e Melo, pode não ser necessário vacinar as crianças porque, ao vacinar-se 70%, 80%, 90% da população, está-se a proteger as crianças.